Notícias

Blog

IBF - Inteligência para o Bem das Florestas, trabalha com fomento de viveiros para produção de Mudas Florestais.
  • Dia de Campo Mogno Africano

    Dia de Campo - Demostração in loco da implantação de 50 hectares de Mogno Africano em Salmourão/SP

     

    Local: Salmourão/SP.

    Data: 21 de outubro de 2017 - Sábado

    Horário: 9h às 12h.

    Telefone: (43) 3066-2151

     

    Objetivo: Possibilitar uma atividade prática de plantio a campo para empreendedores, levando em consideração outras atividades relacionadas ao pré, operacionalização e pós plantio.

    Metodologia: atividades práticas demonstrando o processo do plantio de mudas de Mogno Africano.

    Diferencial: O grande diferecial deste Dia de Campo diz respeito ao cronograma de atividades técnica, tanto pré, durante e pós plantio. Como inscrito do evento, o participante terá detalhado as atividades e poderá acompanhar o passo a passo do processo de implantação deste 50 hectares deMogno Africano.

    Local: FAZENDA SANTA AMÉLIA - Salmourão/SP.

      

     

    OBS.:  Este é um evento gratuito para participantes de cursos anteriores. Entre em contato conosco para realizar a sua inscrição.

  • Programa Plante Árvore e repasse de mudas

    O Instituto Brasileiro de Florestas (IBF), visando beneficiar a sociedade e o meio ambiente através do plantio de mudas nativas, desenvolveu o Programa Plante Árvore, onde parcerias com empresas privadas possibilitam o fomento de mudas nativas, direcionadas a proprietários rurais com áreas cadastradas no Programa.

    O Programa envolve, assim, o IBF, a empresa privada patrocinadora, e o proprietário rural, que dispõe da área a ser reflorestada.


    Para informações do Programa Plante Árvore, acesse: www.plantearvore.com.br


    Como funciona o Plante Árvore?

    Qualquer proprietário rural que desejar colocar sua área à disposição do programa, deve cadastrar sua área (igual ou maior que 1 hectare) em nosso banco de dados e aguardar um patrocinador. Caso seja selecionado, receberá mudas nativas em formato de fomento.

    Observações:

    • As mudas do fomento estão no tubete de 55 cm³, com porte entre 20 e 30 cm;
    • O investimento quanto a logística fica a cargo com o proprietário da área contemplado;
    • A mão de obra para operacionalização das atividades técnicas são de responsabilidade do proprietário rural cadastrado.


    De acordo com orientação do corpo técnico quanto ao fomento, o IBF abre a seguinte possibilidade: Caso o proprietário rural contemplado opte por mudas maiores, o Instituto poderá realizar o repasse de mudas de porte entre 40 e 60 cm, no tubete de 290 cm³ em substituição às mudas no tubete de 55 cm³.

    Neste contexto, pelo fato das mudas no tubete de 290 cm³ estarem com nível de desenvolvimento radicular maior, o índice de pegamento também será maior. Assim, consequentemente, os investimentos quanto a manutenção serão menores.

    • A substituição (mudas no tubete de 55 cm³ para o de 290 cm³) acarretará na necessidade de investimento de R$0,75 / muda;
    • A escolha pela substituição ou não no porte das mudas é do proprietário rural contemplado;
    • As mudas no tubete de 55 cm³ serão despachadas de Apucarana/PR;
    • As mudas no tubete de 290 cm³ serão despachadas de unidades prisionais do interior do Estado de São Paulo, sendo o mais completo o da unidade de Reginópolis/SP e também de Apucarana/PR;
    • No caso dos viveiros do interiro de São Paulo, o transplante das mudas contou com a mão de obra de sentenciados de unidades prisionais;
    • Caso haja possibilidade, o proprietário da área poderá realizar a retirada das mudas.


    Doação x Período de Repasse x Aquisição

    Para que o repasse / fomento de mudas seja possível, faz-se necessário o surgimento de uma empresa parceira. Porém, como a quantidade de áreas cadastradas é muito superior a quantidade de empresas parceiras, o Programa não consegue determinar ou prever um prazo para que o repasse aconteça.

    Assim, para não deixar os proprietários rurais com demanda urgente sem atendimento, há a opção na aquisição dessas mudas a valores subsidiados.

    Observações:

    • Valores subsidiados para fomento de mix de espécies nativas;
    • Descontos repassados aos proprietários cadastrados no Programa Plante Árvore;
    • Orçamento para muda padrão no tubete de 290 ml (mudas entre 40 e 60 cm).

     

    Artigos Relacionados:

  • Apagão Florestal

    Atenta ao cenário de produção e fornecimento de madeiras serradas ao mercado consumidor altamente exigente, o Instituto Brasileiro de Florestas (IBF) identificou um processo denominado de "Apagão Florestal".

    Neste contexto, haverá a diminuição de áreas privadas para produção e extração de madeiras devido a pressões na Amazônia e, por outro lado, ocorrerá o aumento na demanda por madeiras nobres serradas.

    Atualmente, o Brasil produz cerca de 14 milhões de m³ de madeira, número que deve cair para 5 milhões até 2.030. Paralelo, a demanda aumentará para 21 milhões, resultando na diferença de 16 milhões de m³ de madeira no período.


    Assim sendo, a retirada da pressão sobre as árvores da Amazônia acarretará em mudanças profundas e positivas na dinâmica do mercado de produção em solo brasileiro. Afinal, o que fazer com esta demanda latente?

    O desafio do setor é implantar novas florestas capazes de atender a demanda do mercado de forma sustentável e equilibrada, sendo aptas a atender as exigências do mercado consumidor.

    Quando fazemos um estudo com o objetivo de encontrar a melhor solução para um projeto florestal, levamos em conta os benefícios da espécie associados a fatores externos. No caso do mercado de madeiras tropicais duras, estima-se uma redução da oferta e grande aumento da procura para os próximos 20 anos, representando um grande déficit apenas no Brasil.

    Graças ao crescimento da produção das empresas florestais brasileiras e das demandas internacionais pelos produtos dessa cadeia, o Brasil tem se tornado um dos maiores países do ranking de exportadores internacionais de produtos florestais, conquistando posição privilegiada e ganhando competitividade entre os países tradicionais no ramo de celulose, como a Finlândia e a Suécia. Mudanças significativas vêm ocorrendo, ao longo dos anos, no mercado doméstico e internacional de produtos florestais, por meio da expansão dos mercados existentes e o surgimento de novos mercados e novos produtos que utilizam, basicamente, a madeira de reflorestamento, no Brasil e no exterior.

    O mercado de madeiras tropicais duras apresenta uma tendência geral de aumento do preço do metro cúbico. A madeira tropical dura serrada tem um preço médio acima de 500 dólares, sendo que o Mogno Africano, tem seu valor cotado entre 1.000 a 1.500 dólares.


    Com relação a produtividade da floresta é indiscutível a vantagem competitiva do Brasil, liderando o ranking de nível de produtividade por hectare, seguido pela China, Indonésia e Austrália. Levando em conta o fator ambiental, a exploração de florestas naturais da Amazônia no Brasil  coloca-se em uma posição delicada, aumentando a cada dia o custo ambiental de exploração de madeira de áreas naturais. Neste contexto, estima-se que a produção de madeira nativa da Amazônia em áreas privadas deve baixar 64% nos próximos vinte anos.

    Nesta linha de raciocínio, o IBF indica o manejo do Mogno Africano para suprir a demanda por madeira. Tal espécie possui um uso comercial extraordinário devido às características tecnológicas e à beleza da madeira, sendo utilizada na indústria moveleira, faqueado, construção naval e em sofisticadas composições de interiores e diversos produtos especiais.

    Pressionado pelo aumento da demanda e do preço, projetos de florestas plantadas estão sendo cada vez mais exigidos, principalmente com relação a produtividade e qualidade, e neste sentido o cultivo do Mogno Africano atinge bons lucros para cada hectare plantado, sendo o investimento basicamente concentrado na criação e manutenção da floresta.

    Além da questão do alto valor agregado da matéria final (madeira serrada), outros aspectos que potencializam o Mogno Africano no Brasil são:

    1. Tecnologia: A silvicultura é bem avançada no Brasil e somado a transferência de tecnologia de manejo dos Mognos realizados na Austrália, houve impulso na produção;
    2. Adaptação: Vários novos projetos florestais de Mogno Africano foram implantados devido a adaptação da espécie em várias regiões do Brasil.


    Com relação a necessidade de área para desenvolvimento de um projeto florestal de Mogno Africano, faz-se necessário analisar o mercado no qual se pretende atuar. No contexto de exportação, a área de implantação deve ser maior que 5 hectares devido a possibilidade de fornecimento de madeira serrada em escala maior e também planejamento para que haja possibilidade na continuidade no fornecimento. Já os povoamentos inferiores a 5 hectares poderão atender o mercado doméstico de madeira.


    Os projetos de reflorestamento, independentemente da espécie florestal plantada, deve seguir orientações técnicas para minimizar o risco do investimento e auferir a rentabilidade desejada. Quanto ao risco de empreendimentos florestais  podemos citar alguns fatores como: incêndios, ataques de pragas e formigas. Tais riscos podem ser minimizados com simples medidas como no construção de aceiros para evitar incêndios, controle de pragas e formigas, e seguro do plantio, entre outros. Basta seguir as orientações técnicas necessárias para o bom sucesso do empreendimento.


    Independentemente do mercado de atuação por parte do empreendedor, o Instituto Brasileiro de Florestas (IBF), está a disposição para orientações técnicas, fornecimento de mudas de Mogno Africano e insumos necessários para início do manejo.

    Artigos Relacionados:

Ao anunciar no Jornal a empresa terá sua logo no site do Informativo Florestal, no jornal impresso e ainda ganha uma matéria exclusiva no site.
 

Entre em contato conosco:

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

43 3324-7551

Divulgar no Informativo Florestal

Página 1 de 4

© 2017 Instituto Brasileiro de Florestas. All Rights Reserved. Designed By JoomShaper